Tel.: +258 84 301 3341

Áreas Programáticas de Intervenção

Com vista a incrementar a qualidade dos Serviços de Saúde e fazer com que os provedores de saúde estejam melhor capacitados para disponibilizar atempadamente um regime de cuidados e tratamento eficaz, o CCS apoia o Sector de Saúde da cidade de Maputo e província de Inhambane na implementação das seguintes atividades:

  • Formação de provedores de saúde em pacotes de Prevenção Positiva;
  • Mentoria dos provedores de saúde na oferta das componentes de Prevenção Positiva nomeadamente: comportamento sexual, revelação do sero estado ao parceiro, adesão ao TARV, ITS, planeamento familiar e PTV, consumo de álcool e outras drogas, referência para serviços de apoio e comunitário.

Como resultado destas formações, está sendo possível expandir gradualmente a implementação de Prevenção Positiva para as Unidades Sanitárias existentes nas regiões do país acima mencionadas.

 

As atividades de farmácia são em geral um complemento do processo de cuidados e tratamento realizada a nível das Unidades Sanitárias, sendo o objetivo primário, garantir o acesso aos medicamentos disponíveis no SNS ( Serviço Nacional de Saúde). No entanto, em última análise, todas as intervenções visam apoiar a expansão da cobertura dos serviços TARV e implementar as orientações do MISAU.

Ao estabelecer estratégias e mecanismos de apoio na área de farmácia, o CCS focaliza-se nas prioridades do MISAU, em particular no Plano Estratégico de Logística Farmacêutica (PELF) da CMAM (Central de medicamentos e artigos médicos).

Principais Atividades Apoiadas

  •    Implementação do SIMAM e manter o sistema funcional nas Direções Provinciais de Saúde;
  •    Apoiar a Logística dos medicamentos e artigos médicos, tanto pela aquisição de viaturas específicas, como pela coordenação com Direções Distritais para o estabelecimento de rotas de modo a garantir que os medicamentos básicos estejam disponíveis nas Unidades Sanitária;
  •    Apoiar a implementação da melhoria das condições de dispensa de medicamentos por meio de reabilitações e organização dos serviços na farmácia;
  •    Apoiar as províncias e Unidade Sanitárias na realização regular de triangulação de dados CMAM e resumo mensal;
  •    Monitoria de stock dos principais medicamentos e apoio na quantificação.

Reabilitações / Renovações nas Farmácias das Unidades Sanitárias

A maioria das farmácias das Unidades Sanitárias não apresenta condições seja para o acondicionamento dos medicamentos assim como para dispensa aos pacientes, em particular no manejo de dados para seguimento e dispensa a pacientes com doenças crónicas como por exemplo o HIV.

Assim, o principal objetivo das intervenções nas reabilitações e remodelações das farmácias é o de organizar melhor os espaços existentes, instalar sistemas eletrónicos de gestão de serviços para melhoria do atendimento aos pacientes, equipar as farmácia com mobiliário adequado às atividades em particular, criação de condições para arquivo e manejo de instrumentos de gestão relacionados com os medicamentos e acima de tudo, garantir melhores condições aos utentes das farmácias assim como, condições de privacidade no acto do levantamento dos medicamentos.

No âmbito do diagnóstico e oferta de serviços de saúde, as iniciativas estruturais importantes foram o aconselhamento e testagem em saúde, em duas formas reconhecidas pelo MISAU, nomeadamente o ATIP - aconselhamento e testagem iniciada pelo provedor (médicos, técnicos de medicina, enfermeira do SMI, técnicos de saúde), envolvendo posteriormente conselheiros leigos, e o ATIU (aconselhamento e testagem iniciada pelo Utente). Além disso, ampliou-se a cobertura dos cuidados pré-natal no país, proporcionando uma oportunidade para aconselhamento em PTV. Embora os serviços estejam cada vez mais acessíveis, a cobertura em relação à prevenção da transmissão vertical continua insuficiente se comparada ao elevado número de novas infeções, além de persistirem desigualdades em relação às áreas mais remotas (Informações fornecidas pelo MISAU em 2016). Em Dezembro de 2014, a cobertura de anti-retrovirais da população para a prevenção da transmissão vertical foi de 96% (UNICEF, 2016), contudo, ainda é deficiente o acesso das grávidas ao controlo pré-natal.   

Ler mais...

 

Na área do laboratório, no âmbito dos serviços de cuidados e tratamento do HVI e TB, são realizadas um conjunto de análises clínicas, visando o diagnóstico ou confirmação das patologias ou mesmo para sustentar os exames de rotina.

Com o avanço da estratégia "Testar Iniciar" esta área tem ganho uma grande dinâmica visto que a demanda tem sido crescente, num processo fundamental de análises clínicas que se inicia na coleta do espécime diagnóstico (amostra biológica obtida adequadamente para fins de diagnóstico laboratorial) e termina com a emissão de um laudo médico.

O CCS através de diversas parcerias institucionais têm prestado assistência técnica para as obras de melhoria das condições laboratoriais e apetrechamento deste sector em algumas Unidades Sanitárias respetivamente na cidade de Maputo e província de Inhambane. Ainda na prestação de apoio e parceria técnica, os profissionais de laboratório são envolvidos em planos de expansão de serviços de prestados nesta área e reforço das competências técnicas através do financiamento de capacitação e treinamento de técnicos de laboratório de nível provincial e distrital nas áreas específicas.

 

Uma das prioridades estabelecidas no Plano Estratégico Nacional de Combate ao HIV, incluindo o Plano de Aceleração da Prevenção, foi a expansão das estratégia ATIU (aconselhamento e testagem iniciado pelo utente) e ATIP (aconselhamento e testagem iniciada pelo provedor). Neste âmbito, na província de Inhambane e cidade de Maputo, o CCS tem realizado:

Ler mais...

 

Moçambique adotou atualmente as novas estratégias do tratamento do HIV recomendadas pela OMS. Nos próximos cinco anos, o programa nacional de HIV não só precisará abordar os desafios de entrega de serviços existentes para implementar o Plano de Aceleração de Resposta ao HIV/Sida mas também implementar e expandir os novos modelos de atendimento e tratamento alinhados com novas estratégias globais concretamente: 90- 90-90 correspondente a 90% das pessoas com HIV no país estejam diagnosticadas, estas 90% das pessoas com HIV diagnosticadas, recebam tratamento antirretroviral e 90% das pessoas em tratamento tenham carga viral indetetável e a outra estratégia é a de seguimento rápido dos pacientes, após o teste e diagnóstico, os HIV positivos iniciam o aconselhamento psicossocial e tratamento num período máximo de 15 dias.

Ler mais...

Para fortalecer o Sistema Nacional de Saúde, responder ao Plano de Aceleração da Expansão da Rede Sanitária e permitir com que maior número de pacientes de HIV/TB estejam em cuidados e tratamento de qualidade, o CCS tem contribuído na formação de novos quadros de saúde e no melhoramento contínuo das capacidades dos recursos humanos já formados.

Ler mais...

 O processo de Monitoria e Avaliação centra-se no apoio a expansão dos Serviços de Prevenção, Cuidados e Tratamento; Fortalecimento do Sistema de Gestão de Informação e Serviços de Farmácia- Monitoria e Avaliação; Fortalecimento do Sistema de Informação das área de Envolvimento Comunitário e Apoio as Avaliações dos Programas. Neste âmbito são instalados equipamentos informáticos para a monitoria de pacientes a nível das Unidades Sanitárias na cidade de Maputo e província de Inhambane.

Os indicadores e dados reportados atravês da Monitoria e Avaliação  contribuem para o conhecimento dos índices percentuais dos pacientes envolvidos nos processos de cuidados e tramentos de HIV e TB, alimentação da base de dados, realização de atividades de triangulação de dados entre os diversos sectores servindo deste modo de suporte para as sessões de discussão de dados e estatísticas mensais.

É tudo